Em um momento financeiro complicado, que culminou até no atraso de parte dos pagamentos de direitos de imagens de alguns jogadores do elenco, o São Paulo espera que empréstimos com bancos ajude a solucionar esses problemas no clube. Na noite de terça-feira, em uma reunião no Morumbi, o Conselho Deliberativo, seguindo o Conselho de Administração, aprovou o uso dessas operações bancárias.

No entanto, enquanto cerca de 140 conselheiros se reuniam, um grupo de torcedores organizados realizava um protesto do lado de fora do estádio. Eles pediam para que os empréstimos não fossem aprovados. O São Paulo chegou a acionar a Polícia Militar, que controlou a manifestação da torcida. Não houve registros de confusão.

Além dos empréstimos bancários, o São Paulo espera receber dinheiro de vendas anteriores e desta janela de transferências para resolver as pendências. As quedas precoces da Copa Libertadores e da Copa do Brasil fizeram a diretoria do clube reavaliar os gastos. A previsão orçamentária do clube para 2019 contava que o time chegaria ao menos às quartas de final das duas competições.

O São Paulo previa cerca de R$ 20 milhões com receitas na Libertadores. Após a eliminação no primeiro compromisso no torneio, o clube mudou o planejamento para o restante da temporada, algo que voltou a acontecer por conta da queda nas oitavas de final da Copa do Brasil. A previsão era de cerca de R$ 5 milhões com receitas na competição nacional de mata-matas (R$ 3.150.000,00 apenas da premiação dada pela CBF aos classificados às quartas de final).

Deixe uma resposta