Ainda não vai ser no segundo semestre de 2019 que o zagueiro Cléber Reis voltará a defender o Santos. De volta ao clube após atuar nos primeiros meses da temporada pelo Paraná, o defensor agora vai vestir a camisa do Oeste, time para o qual foi emprestado pela equipe da Vila Belmiro.

Esse é o terceiro empréstimo consecutivo de Cléber. O zagueiro defendeu o Coritiba em toda a temporada 2018 e no começo deste ano foi cedido ao Paraná. Agora, então, terá nova experiência no futebol paulista.

A rotina de empréstimos de Cleber se dá pelo desinteresse da comissão técnica em aproveitá-lo, mas também pelo seu longo tempo de contrato. Anunciado como reforço no início de 2017, adquirido junto ao alemão Hamburgo, ele assinou um contrato válido por cinco anos, até janeiro de 2022.

A aposta da direção do Santos naquele momento, porém, não deu certo. Cleber disputou apenas dez jogos pelo time em 2017, não sendo mais aproveitado. Assim, no Coritiba – 14 – e no Paraná – 12 – entrou em campo mais vezes do que pelo clube detentor dos seus direitos econômicos.

No Oeste, esse cenário poderá se repetir, caso ele consiga superar a concorrência dos zagueiros Kanu, Egon e Thiago Nunes na briga pela titularidade. O time paulista, que manda seus jogos na Arena Barueri, é o décimo colocado da Série B, com 11 pontos somados em oito jogos.

Além de Cleber, outros jogadores retornaram de empréstimo ao Santos nos últimos dias, mas não tiveram o futuro definido. É o caso do lateral Caju, que estava no cipriota APOEL e deverá ser observado pelo técnico Jorge Sampaoli. O zagueiro Fabián Noguera, que estava no espanhol Nàstic, e o meia Vecchio, que vinha atuando pelo Shabab Al Ahli, dos Emirados Árabes, também voltaram ao clube, mas a tendência é de que sejam repassados a outros times.

Na parte final do primeiro semestre, o Santos havia emprestado três jogadores: Arthur Gomes foi para a Chapecoense, Yuri Lima se transferiu ao Fluminense e Copete acertou com o mexicano Pachuca.

Deixe uma resposta